Todos por São Luís

terça-feira, 7 de julho de 2015

CNA e Faema participam de audiência pública sobre desintrusão da causa Awá-Guajá em S. João do Carú


Pequenos e médios produtores rurais envolvidos no processo de desintrusão das terras indígenas awá-guajá participam da audiência pública.
Pequenos e médios produtores rurais envolvidos no processo de desintrusão das terras indígenas awá-guajá participam da audiência pública.
A Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Maranhão, (Faema), participou em São João do Caru – município situado na região oeste do Maranhão -, da Audiência Pública que tratou da desintrusão, (instrumento jurídico para garantir a efetivação plena dos direitos territoriais indígenas, por meio da retirada de eventuais ocupantes), da terra supostamente indígena awá-guajá, em defesa dos produtores rurais.
Deputado Fernando Furtado, (PC do B), representante do governo estadual, defende em discurso, os produtores rurais.
Deputado Fernando Furtado, (PC do B), representante do governo estadual, defende em discurso, os produtores rurais.
Acompanharam a reunião, o assessor jurídico da Faema, Emerson Galvão e a assessora jurídica para assuntos indígenas da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil, (CNA), Alda Carvalho. Ambas as instituições vêm apoiando a ação empreendida pela Aprocarú, (Associação dos Produtores de São João do Carú), que tem a intenção de buscar solução para a recondução dos produtores rurais retirados das suas áreas de trabalho em julho do ano passado onde se incluem, os povoados, Vitória da Conquista, (485 famílias), Cabeça Fria, (250 famílias) e Caju, (420 famílias), povoados e propriedades que possuíam benfeitorias e que na ocasião foram destruídos.
Além destes participaram do evento, o diretor fundiário do Instituto de Colonização e Terras do Maranhão, (Iterma), Francisco Silva Freitas, deputado estadual, Fernando Furtado, (PC do B), o advogado do Aprocarú, Marcos Matos, representantes do Incra, ex-prefeitos, vereadores, produtores rurais, lideranças sindicais, professores, comerciantes, dentre outros convidados.
Aprocarú
 Arnaldo Lacerda, presidente do Aprocarú, conduz audiência pública em São João do Caru.
Arnaldo Lacerda, presidente do Aprocarú, conduz audiência pública em São João do Caru.
A reunião foi acompanhada por aproximadamente mil e duzentas pessoas, grande parte delas,  envolvidas no caso awá-guajá. O presidente da Aprocarú, Arnaldo Lacerda, discorreu sobre a situação atual em que se encontram os pequenos produtores. Falou do processo que culminou com a retirada das famílias e destacou a importância da recondução de todos os atingidos diretamente pela desintrusão em áreas pertencentes aos municípios de São João do Carú, Zé Doca, Centro Novo e Newton Belo.
“Houve omissão dos governantes. A situação é triste. Estamos passando fome. Acabaram com os nossos sonhos e até agora nenhuma solução governamental de fato, ocorreu”, disse Arnaldo. Na oportunidade, agradeceu o apoio da Faema, CNA e demais instituições ligadas ao movimento.
Por sua vez, o assessor jurídico da Faema, Emerson Galvão assegurou o apoio lembrando que esta instituição não poderia virar as costas para uma ação que inclui centenas de famílias de produtoras rurais.
“Não seria justo virar as costas para a causa de vocês. A Federação está à disposição para o que precisarem”, disse ele, endossado pela assessora do CNA, Alda Carvalho.
Sensibilidade
“É difícil compreender como vocês ainda não foram assentados”, disse ela, afirmando que a mesma lei que garante a área para os índios é a mesma que garante espaço aos pequenos produtores rurais. Na oportunidade, a advogada disse apoiar as famílias envolvidas no caso. “Continue firmes. O Incra tem que destinar um lugar para vocês. Contem conosco”, disse.
Finalizando a reunião, o deputado estadual Fernando Furtado, (PC do B), que representou o governador Flávio Dino no evento, afirmou estar ao lado produtores rurais. Falou da sensibilidade do governador maranhense para com os menos favorecidos e conclamou a todos a participarem de ações junto ao Palácio dos Leões e Assembleia Legislativa.
“Nós não podemos nos acovardar, vamos à luta para garantir a volta das terras de vocês”, disse ele.
Fonte: Senar/Ma

Nenhum comentário:

Postar um comentário