Todos por São Luís

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

CASO AWÁ-GUAJÁ: INCRA do Maranhão assume o “rabo de foguete” e não apresenta resultado para a crise

trabalhadores desconfiam da boa vontade do Incra

Quando o juiz federal  José Carlos do Vale Madeira emitiu a Ordem Judicial para ser feita desocupação na área em litígio dos índios Awá-Guajá no município de São João do Caru - quem leu o documento  viu, que se tratava de uma desintrusão. Ou seja, retirar os intrusos da área. Intrusos seriam invasores que não teriam direito a nada,  na interpretação da Justiça. Só que a tática da Justiça de emitir o documento no dia 17 de dezembro de 2013, coincidindo com as festas do fim de ano e o recesso nas casas parlamentares do Maranhão e de Brasília não deu certo. Ao chegar na área, as tropas do exército se deram conta da realidade e tiveram que recuar.
Incra assume a bomba mas não apresenta resultado
Com esse recuou e motivado por pressões, o Incra do Maranhão entrou de “gaiato no navio”. Poderia ter dado de ombro. Justificativa tinha de sobra  para fazer isso. Não tinha prazo e muito menos condições para realizar uma licitação e compra de terra em 40 dias. Mesmo que conseguisse a terra a toque de caixa, o ônus de  despejar 6 mil pessoas numa área sem estrutura iria ficar na sua conta.
Não sei se por pressão do Governo Federal, equívoco de sua assessoria ou alguma “casca de banana” jogada de propósito por alguém que queria o lugar do superintendente. Quando o advogado José Inácio Rodrigues  emitiu um edital de compra de terra para assentar os trabalhadores rurais, classificados como intrusos pela Justiça, terminou contradizendo a própria decisão judicial   e assumindo para si toda a responsabilidade.
reunião na Justiça Federal
O mais grave é que agora depois do leite derramado, o Incra tenta a qualquer custo conseguir a adesão  dos trabalhadores rurais para se cadastrarem num projeto fictício de assentamento que não estava  previsto na Ordem Judicial de desintrusão.

Imparcial diz que Incra usa Bolsa Família como chantagem
A pressão sobre as 1200 famílias que desde dezembro convivem com  as tropas do exército no terreiro de casa ( armada até os dentes) aumentou ainda mais depois da reunião que aconteceu na terça-feira com a Justiça Federal, o Incra e o Comando da Operação. O Jornal O Imparcial (quinta-feira, 30 de janeiro) disse que o Incra estava condicionando as adesões dos trabalhadores rurais ao programa Bolsa Família. Ou seja, quem não assinasse o cadastro iria perder o programa. O programa Bolsa Família é um direito conquistado.  Jamais poderia ser usado de tal forma!















AGORA É OFICIAL: Neto Evangelista “sarneysou” mesmo!


Neto Evangelista, com a influência da sogra sarneysista, não esconde mais de ninguém que sua opção é pelo pré-candidato do grupo Sarney
Neto Evangelista, com a influência da sogra sarneysista, não esconde mais de ninguém que sua opção é pelo pré-candidato do grupo Sarney, Luís Fernando Silva
Só para confirmar posts do ano passado do blog, publicados nos meses de setembro e dezembro de 2013 (relembre “Sutilmente, Neto Evangelista começa a sarneyzar” e “Neto Evangelista faz jogada política com discurso do VLT”), o deputado estadual Neto Evangelista (PSDB) já tornou pública a opção que faz em torno do pré-candidato ao governo do Maranhão pelo grupo Sarney, Luís Fernando Silva, e já aparece, oficialmente, ao lado do ungido.
Na quarta-feira (29), ele não poupou “elogios” ao secretário de Infraestrutura, em Lago da Pedra, durante evento na companhia da sogra e prefeita do município, Maura Jorge, sarneysista de carteirinha.
Neto Evangelista acompanhou a sogra sarneysista no evento de assinatura da ordem de serviço da pavimentação da MA-245, em Lago da Pedra, com a presença de Luís Fernando, claro, em plena campanha pela sucessão estadual
Para Neto, é preciso reconhecer o trabalho desempenhado por Luís Fernando na Sinfra. “Se existe um pai deste projeto (pavimentação da MA), esse se chama Luis Fernando. Foi ele quem, de fato, trabalhou para a estrada deixar de ser apenas um sonho e se transformar realidade”, disse o deputado neosarneysita.
Independente da decisão do PSDB, Neto Evangelista irá com grupo Sarney
Não é novidade mais para ninguém. Neto Evangelista faz de tudo para levar o PSDB ao palanque de Luís Fernando e vem demonstrando que, se não houver uma decisão do PSDB nesse sentido, deve encarar o apoio de forma individual e isolada como fará também o prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira.
Neto Evangelista já assumiu também, em conversas com a Imprensa, que não votará e nem pedirá voto para o candidato do PCdoB ao governo Maranhão, Flávio Dino, em caso do PSDB se decidir pelo apoio ao comunista.
Disputa pela Prefeitura de São Luís em 2016
Além do propósito de garantir a releição de deputado estadual, Neto Evangelista pensa também nas eleições municipais de 2016, quando não esconde de ninguém a pretensão de sair como candidato a prefeito de São Luís.
Neto Evangelista sabe que se  o PSDB for com Flávio Dino, a possibilidade de disputar o comando da Prefeitura da capital maranhense será mais remota. Portanto, abre caminho junto ao grupo Sarney para, quem sabe, viabilizar esse projeto daqui a dois anos também com as bênçãos do clã.
Levando em conta as postagens e as evidências, quero mostrar que este blog sempre teve razão. A imagem não inventa! Os fatos estão aí…
- See more at: http://blogdasilviatereza.com/#sthash.d21oaABM.dpuf

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

SÃO JOÃO DO CARU: 100 KM de lama e sofrimento – Governo Roseana mentiu na TV quando disse que o Estado era o primeiro do Nordeste com todos os municípios interligados por asfalto

só entra veículo traçado
A propaganda oficial do Governo Roseana Sarney mentiu descaradamente num VT produzido pela Secom que o estado do Maranhão seria  o primeiro do Nordeste a ter todas as sedes dos municípios ligados por asfalto. Acho que os produtores da  Secretaria de Comunicação do Estado  esqueceram de visitar os 100 quilômetros de lama e sofrimento que separam os municípios de São João do Caru e Bom Jardim.




Ma 318: 31 pontes nessas condições
A famosa “Estrada dos Sonhos”, na Ma 318, que num percurso normal  se percorre  em 1:30h. Nas condições precárias de hoje não se faz em  menos de 5 horas. A população do Caru, com  o período intenso das chuvas que caem na Região Noroeste do Estado está  isolada. A rodovia possui 31 pontes de madeira caindo aos pedaços.









quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

CLIMA DE GUERRA EM SÃO JOÃO DO CARU: trabalhadores rurais resistem a desocupação Awá-Guajá do Governo Federal e a pressão aumenta sobre o Incra do Maranhão

1500 famílias  resistem
São João do Caru,Ma - O clima é de guerra no município de São João do Caru (na Região Noroeste do Estado), onde acontece a disputa de uma área de 116 mil hectares entre e trabalhadores rurais do município e os índios Awá-Guajá. Ontem(28) cerca de 2 mil trabalhadores se reuniram para protestar e resistir a decisão do Governo Dilma Roussef(PT) de retirar as famílias da área em litígio. O Blog do Varão foi ver de perto os desdobramentos da crise.
As famílias alegam que estão na área há mais de 20 anos e que a decisão do Governo pretende despejar cerca de 6 mil pessoas para recolocar 33 índios numa área de 116 mil hectares. O clima na reserva está muito tenso pelo fato do prazo de 40 dias, (dado  pela Justiça para as tropas do exercito executarem o  mandado de despejo) já tenha vencido. O mandado de notificação do juiz federal José Carlos do Vale Madeira, tem  data do dia 17 de dezembro, portanto hoje faz 44 dias.
mandado da justiça vencido
 Com o prazo  vencido dado pela Justiça Federal  para a desocupação, as famílias alegam que não têm para onde ir. O medo e a insegurança  vem gerando um clima de tensão por causa da presença das tropas federais que tem em mãos a ordem da Justiça para fazer o despejo.
Diante do impasse provocada pela Ordem Judicial (que tem que ser cumprida)  os trabalhadores já admitem em deixar a área, desde que o Governo Federal consiga uma área de assentamento para recolocar todas as famílias.
A CNA(Confederação Nacional da Agricultura)em em parceria com FAEMA(Federação da Agricultura do Estado do Maranhão) estão dando todo apoio jurídico e orientação aos trabalhadores para que  seja cumprida a Ordem Judicial sem prejuízo para os agricultores.  A CNA/FAEMA defende que os trabalhadores só devam sair da área para um local onde tenha toda infraestrutura(casa, água, energia, escola,  estrada e assistência técnica).
Incra não apresentou plano  ao CNA
Numa reunião que aconteceu na semana passada entre o Incra e as instituições(CNA/FAEMA) para que fosse apresentado o plano de reassentamento,  o superintendente José Inacio Rodrigues ainda não tinha nada de concreto para a apresentar. Essa semana o edital de compra da terra para a colocação dos trabalhares teve de ser reeditado   porque ainda não apareceu pessoas interessadas em vender  terreno para a instituição.
“Mais uma tragédia humanitária pode acontecer no Maranhão, a exemplo das violações de direitos ocorridas no Mato Grosso há um ano, na operação de desintrusão da Terra Indígena Marãiwatsédé”, adverte Arno Jerke, disse o representante da CNA.  Também no Mato Grosso, o Incra permitiu que milhares de pequenos agricultores fossem retirados das terras que cultivavam e tivessem suas casas destruídas, sem nenhum planejamento para reassentá-los. Muitos deles ainda hoje vivem em barracos de lona, sem condições de manter seus familiares.
Arno(CNA) e Emerson(Faema) conversam com o comando da operação
 Na manifestação de ontem algumas lideranças dos trabalhadores chegaram a  criticar  a forma que o Incra conduziu  o processo de licitação da compra da terra. “ Do jeito que está sendo feito essa compra do Incra não vai aparecer ninguém interessado em vender sua terra”. A compra está sendo feita através de TDA - título da dívida agrária, onde o Governo Federal leva entre 5 a 10 anos para pagar.

A expectativa ficou para
Arnaldo Lacerda(Aprocaru) e Emerson (Faema) apoio ao protesto 
hoje(29) as 15 horas onde acontece uma reunião entre na Justiça Federal entre o juiz José Carlos Madeira, Nilton Tubino, da Presidência da Republica, Comando do Exército e assessores jurídicos dos trabalhadores. A expectativa é que o Incra apresente  a solução para o impasse.












segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

ENTREVISTA: Márcio Honaiser


Na ocasião da reinauguração da sede do PDT em São Luís, o Blog entrevistou Márcio Honaiser, empresário do agronegócio da região Sul do Maranhão  militante há décadas do PDT maranhense. Márcio é um nome bem cotado para ser o candidato a vice-governador na chapa de Flavio Dino.

“Depois de 30 anos de militância, me considero um soldado do partido”, disse o empresário ao Blog. Veja a entrevista.

Carlinhos – Qual é o sentimento do senhor pela inauguração da sede do PDT, em São Luís?

Márcio Honaiser – Estou muito feliz e emocionado com essa reinauguração. Essa sede representa muito para todos nós, que fazemos o PDT! Foi nesse casão que o saudoso Dr. Jackson trabalhou para desenvolver o nosso estado. O partido faz parte da nossa vida, há mais de 30 anos que estou no PDT, essa sede é o local de grandes reuniões; aqui elaboramos estratégias políticas para organizar e mobilizar nossa militância para mudar os rumos do Maranhão, e essa sede será importante no grande embate político que será travado nas eleições de 2014.

Carlinhos - Como o senhor classifica hoje o PDT no Maranhão em relação às eleições? O PDT está forte e unido com Flavio Dino?

Márcio Honaise - O PDT está forte, unido, cada vez mais aguerrido e a tendência é realmente ficarmos com Flavio Dino, desejamos a união das oposições, estamos trabalhando para isso; eu, particularmente, acredito que estamos do lado do Flávio, ele mais do que ninguém representa esse sentimento de mudança em nosso estado.

Carlinhos - Há algumas especulações que o candidato a vice-governador da chapa de Flavio Dino saíra do PDT, pela importância política que a legenda tem no Maranhão e, dentro do PDT, o seu nome, Márcio Honaise, empresário de Balsa,  ganha força, o que o senhor tem a dizer sobre isso?

Márcio Honaise - Fico muito feliz quando os companheiros se lembram da gente; minha vida toda foi dentro do partido, militando, ajudando e lutando. Caso essa missão se encaixe a minha pessoa, me coloco a disposição de meus companheiros e do povo do Maranhão; porém, gostaria de esclarecer que não estou aqui por causa disso; sou um soldado do partido, passei boa parte da minha vida ajudando a construir esse partido, a transformar a sociedade em que vivemos para mais justa e igualitária; mas se couber a nós essa missão honrosa, vou avaliar com humildade e coragem e tenho plena certeza que estarei em condições de contribuir.

Carlinhos – Para polemizar um pouco: o senhor estaria pronto e apto para esse desafio de concorrer ao cargo de vice-governador do Maranhão?

Márcio Honaiser - A experiência da vida política e da vida empresarial nos deu uma certa bagagem para contribuir nesses grandes desafios que se apresentam diante de nós; pronto tenho certeza que ninguém está, mas com humildade acredito que precisamos todos os das nos aperfeiçoar, melhorar e buscar mais conhecimentos; tenho plena certeza que estou em condições para contribuir ainda mais nesse projeto de desenvolver o Maranhão.

Blog do Carlinhos
http://www.carlinhosfilho.com.br/



HUMILHAÇÃO: Presidente do PT Rui Falcão disse que foi desrespeitado por Roseana Sarney

Jornal Pequeno
 Rui Falcão, presidente nacional do PT, desabafou com companheiros de partido a respeito da forma agressiva com que foi tratado em reunião com Roseana Sarney (PMDB). Em evento realizado em Fortaleza (CE) na semana passada, Falcão afirmou que nunca foi tão maltratado em toda a sua vida, como foi pela governadora do Maranhão.
Em ato que reuniu a militância petista do Ceará para discutir as alianças do PT e a conjuntura nacional, Rui Falcão falou sobre a péssima recepção que teve no Maranhão pela governadora Roseana Sarney.
“O caso do Maranhão. Eu confesso a vocês que em toda minha vida eu fui tão maltratado durante quase meia hora pela governadora do Maranhão,” desabafou com os petistas cearenses.
Rui Falcão continuou a falar sobre a péssima recepção que tem por parte da governadora, afirmando que, por questões partidárias, não tornou público seu descontentamento com Roseana Sarney: “Claro que a gente tem responsabilidade e não podia dizer publicamente. Mas eu estava com vontade de dizer. Mas, isso antes do episódio de Pedrinhas”.
O presidente nacional do PT deixou escapar as críticas à governadora em reunião aberta com membros do PT cearense. Durante o debate sobre alianças, Falcão falou sobre o caso do Maranhão e afirmou que ainda vai analisar com muita cautela como o PT se posicionará no estado.
A reunião aconteceu na quinta (16 de janeiro) no auditório da Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Ceará e contou com a presença do presidente nacional do PT, Rui Falcão e membros do Diretório Estadual do PT-CE.
A insatisfação de Rui Falcão reflete a forma inapropriada que o grupo Sarney trata seus aliados. Falcão não deixou claro em que momento aconteceu o episódio da discussão entre o presidente do PT e a governadora Roseana Sarney.
Desde o fim das eleições internas no PT para definir os diretórios nacional e estadual, Rui Falcão começa a dar declarações que demonstram insatisfação do partido com o governo Roseana, que vem caindo nas avaliações feitas com a população.
A última pesquisa Exata divulgada pelo Jornal Pequeno revelou que 77% da população de São Luís desaprova o governo Roseana Sarney (PMDB). Fatores como este estão sendo levados em considerações pela cúpula petista nacional para avaliar a possibilidade de permanecer com a aliança com o PMDB no Maranhão.
Em novembro de 2013, Rui Falcão começou a dar pistas de que quer se desvencilhar do grupo Sarney no Maranhão. Pela primeira vez desde que o PT interveio no Maranhão para apoiar a família Sarney, o presidente do PT afirmou que pode não apoiar o candidato do PMDB nas eleições de 2014.
“Há uma tendência muito forte de um setor da nossa militância de apoiar o Flávio Dino. E há também um setor que quer apoiar a Roseana Sarney, do PMDB, para o Senado. Talvez essa possa ser uma solução salomônica se a militância do Maranhão assim entender,” disse Rui Falcão durante entrevista ao jornal O Globo.
No Maranhão, a situação do PT ainda não foi definida. A eleição foi marcada por denúncias de compra de voto por parte do então vice-governador, Washington Luis, que apoiou a chapa de Raimundo Monteiro para a presidência do PT estadual.
Monteiro disputa com Henrique Sousa o comando do partido no Maranhão. Monteiro defende a permanência da aliança PT-PMDB no Maranhão; Sousa é a favor de candidatura própria para governador e faz críticas à subserviência do PT ao partido da governadora.


domingo, 26 de janeiro de 2014

MARANHÃO NATUREZA: Rolinha Fogo Pagô

Fogo-Pagô  É o nome comum da Columbina squammata , uma ave columbídea monogâmica, granívora, que habita o Maranhão e o centro-sul e o restante do  Nordeste do Brasil.

sábado, 25 de janeiro de 2014

PARCERIA: Prefeitura de São Luís e Governo Federal trabalhando juntos para diminuir o deficit habitacional do Maranhão que é o pior do Brasil

apartamentos do Minha Casa Minha Vida
O Maranhão tem o pior índice habitacional entre os estados brasileiros. O déficit no Brasil é de 23 milhões de unidades habitacionais, enquanto que  no estado é de 400 mil numa população de 6.794,301 habitantes(IBGE/2010). Uma  parceria entre Prefeitura de São Luís e o Governo Federal, através   programa Minha Casa Minha Vida  deve diminuir esse índice na capital maranhense.
O prefeito Edivaldo Holanda Júnior conseguiu fazer com o que programa Minha Casa, Minha Vida tivesse uma implementação recorde em São Luís no ano passado.  Além de assegurar as condições para a entrega de 6500 unidades e de estar no momento construindo 8 mil, a Prefeitura de São Luís contratou ano passado mais de dez mil unidades habitacionais.



prefeito com o sec. de habitação, Diogo Lima
“É um grande avanço, uma grande conquista. Não podemos perder as oportunidades que as parcerias com o governo federal propiciam. Podemos dizer que temos hoje o maior programa habitacional da história de nossa cidade”, comemora Edivaldo Holanda Júnior.


Com informações da Secom







sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

RETALIAÇÃO: Governo Dilma joga a crise dos Awá-Guajá no colo do PT maranhense

PT a deriva no Maranhão
A Executiva Nacional do PT cansou das crises intermináveis do partido no Maranhão e virou as costas de vez para o núcleo que cerca o  Washington Oliveira. A renúncia do vice-governador até agora não foi digerida pela alta cúpula do partido em Brasília. Para a direção nacional,  a atitude de Washington foi analisada como mais uma fraqueza extrema  do partido no Estado. A alta cúpula  alega que não foi consultada para a atitude suicida de Oliveira que levou ao genocídio todo o partido no Maranhão
O  desgaste extremo entre o PT   e a instância local  começou  quando    a executiva nacional teve que intervir na cozinha dos  maranhenses  na eleição de 2010. A  crise de  liderança e acefalopatia   levou a decisão do apoio à candidatura de Roseana Sarney para ser definida no tapetão em Brasília. Na época  a disputa seria entre a atual governadora do PMDB e o Flávio Dino(PCdoB).
Monteiro X Henrique: decisão do PED no tapetão
A gota d’agua do desgaste excessivo veio com a eleição dos novos dirigentes do partido que aconteceu em todo Brasil no ano passado. A eleição do PED até agora no Maranhão não teve decisão. O resultado foi de novo para o tapetão. Como tudo tem limite, a crise pode culminar  com algumas evidências de cansaço e  retaliações da Executiva Nacional ao braço da CNB no Estado.
A primeira retaliação é a decisão do ex-presidente Lula e de alguns membros da executiva do partido  de querer lançar   candidatura própria no  Maranhão para as eleições desse ano. E tudo indica que a decisão da escolha do candidato vem cima, sem passar por prévias. Essa tese se fortaleceu depois da ida  do vice-governador para o TCE. Para alguns analistas políticos  o PT nacional não engoliu a renuncia.
6 mil trabalhadores rurais sem teto: desgaste para o Incra
 A segunda retaliação é o  caso dos índios Awá-Guajá. É muito estranha  a decisão  do Governo Dilma. Depois que as tropas do Exercito chegaram às terras dos índios acompanhados de oficiais de justiça é que foram avisar à direção do  Incra no Estado para iniciar um processo de licitação para compra de terra. Quem trabalha com serviço público conhece a demora de um processo licitatório.  São 6 mil trabalhadores rurais que serão jogados, sem chão e sem teto   na conta do PT do Maranhão. Não se faz isso nem com inimigo, imagine com  com aliado.  Se vira nos 30!



OPINIÃO: cabeça vazia, oficina do Diabo!

Cabeça vazia, oficina do Diabo! O conceito de Pedrinhas era para ser uma penitenciária agrícola, onde os presos teriam que aprender a plantar e colher sua própria comida. Se não deu certo foi incompetência do Estado. O mais intrigante é que ninguém discute isso!

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Prefeito de São Luís participa de evento do PDT e ratifica a importância dos partidos aliados na sua gestão

prefeito prestigiando evento do PDT
O principal erro do ex-prefeito João Castelo(PSDB) à frente da Prefeitura de São Luís foi centralizar a administração e subestimar a importância dos partidos aliados dentro da gestão. O erro capital culminou com a sua derrota na eleição de 2012 para o atual prefeito Edivaldo Holanda Junior(PTC).
Ao participar ontem à noite  de um evento do PDT, na sede do partido,   o prefeito de São Luís demonstrou que em 2014  pretende fazer o caminho inverso do seu antecessor.  Com sua administração começando a “pegar vento”, o prefeito vem sinalizando que pretende mesmo administrar de forma ostensiva com a participação dos partidos aliados.
 Com uma pequena reforma administrativa prevista para acontecer agora no mês de fevereiro, Edivaldo deve concluir o restante dos acordos políticos feito na  campanha.   Devem ser contemplados nessa mini-reforma o PDT que ainda aguarda  o cumprimento do acordo com a  destinação das secretarias de Juventude e Trabalho.
vistoriando obras
A lua de mel  do prefeito com o PDT vem sendo notada com a presença de lideranças do partido em inaugurações de obras pela cidade.  Ainda no evento de reinauguração da sede do partido, Edivaldo retribuiu   com rasgados  elogios  ao trabalho desempenhado pelo pedetista  Raimundo Penha à frente da Secretaria de esporte. O deputado federal Wewerton Rocha que tem participado ativamente das inaugurações de obras  junto com o  prefeito conclamou a toda a militância do partido  a defender a gestão do petecista.
Todas essas movimentações politicas fazem parte do fortalecimento da unidade para o projeto maior, que é eleger  Flavio Dino(PCdoB) governador nas eleições de outubro. No evento dos pedetistas, participaram da festa  os partidos que fizeram parte da coligação vitoriosa que elegeram o prefeito em 2012( PDT, PCdoB, PSB,PP e PTC).



Após se recuperar de um AVC, vereador Lisboa fala pela primeira à imprensa...

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

ALTO ALEGRE DO PINDARÉ: mais um prefeito é cassado vítima da famigerada indústria da judicialização da política em ano eleitoral

indústria de cassação

É só chegar o ano eleitoral que começa o processo de judicialização da política no Maranhão. O esquema consiste na farra de emissão de liminares concedidas pela Justiça para cassar prefeitos ou demovê-lo ao cargo.  A grande maioria dessas liminares são deferidas nos famosos plantões, na calada da noite.
Nos bastidores se comenta que cada liminar varia entre R$ 600 mil e até 1.5 milhão de reais. O valor é de acordo com o tamanho do Fundo de Participação do Município. É a famosa época da indústria de cassação de prefeitos
O mais grave é que além da sangria dos já minguados recursos dos municípios a outra moeda do famigerado esquema é o uso da decisão judicial  em troca de apoio político. O mais comum é direcionar   o apoio do combalido e  chantageado  prefeito a supostos projetos de candidaturas a deputado estadual ou federal,  que tenha influência nos tribunais de justiça.
Altenir: mais uma vítima do esquema
A última vítima dessa prática nefasta foi o prefeito  Atenir Ribeiro (PRTB) da cidade de Alto Alegre do Pindaré. No lugar dele   assumiu o vice-prefeito Francisco Gomes da Silva, o Edésio (PDT). Por trás da cassação do prefeito acordos nada republicanos  para  o vice-prefeito assumir e permanecer no cargo. Figuras tradicionais do esquema já mostraram a cara em Alto Alegre do Pindaré para cobrar o compromisso eleitoral de 2014 com o novo prefeito.   No processo de cassação de Altenir é visível que o interesse foi meramente político eleitoral. Tudo dentro do esquema que vem elegendo deputados no Maranhão e falindo gestões municipais.

Altenir com Cristiane Damião: fundadores do COMEFC
        Altenir Ribeiro,  é dessa nova safra de prefeitos  que viu a oportunidade na gestão administrativa a chance de melhorar as condições de vida da população de Alto Alegre do Pindaré.  O prefeito teve  sua  liderança consolidada quando  ao lado da prefeita de Bom Jesus das Selvas, Cristiane Damião (PTdoB) fundaram  juntos (com outros prefeitos) o Consórcio dos Municípios da Estrada de Ferro Carajás. Hoje a Vale é obrigada a pagar os royalties aos 23 municípios por onde passa a ferrovia.


   



ELEIÇÕES 2014: Lula bate o martelo e decide que o PT maranhense vai lançar candidatos a governador e a senador

Lula quer uma reeleição tranquila para Dilma
Se depender só da vontade do ex-presidente Lula, o PT do Maranhão vai lançar mesmo candidato majoritário nas eleições desse ano para o Governo do Maranhão. E quem conhece o partido sabe que o ex-presidente é quem dar as cartas.  A decisão de Lula  em lançar candidato é uma medida para não contrariar o Sarney, junto com uma parte do PMDB, e o PCdoB que tem como  projeto de eleger Flávio Dino -  pelo fato de ser um aliado histórico .
Uma fonte muito próxima ao ex-presidente da república revelou ao Blog do Varão que a vontade de Lula é resolver logo esse impasse aqui do PT do Maranhão. Com essa decisão da executiva nacional de lançar candidatos, tanto para governador como para o senado, aos olhos da executiva nacional  é mais uma demonstração de fraqueza e de crise interminável  do partido no estado. Alguns analistas da cena política do cotidiano observam como mais uma intervenção branca no estado.
ala sarneysista do PT quer disputar prévias entre eles
Com essa possibilidade bem perto de ser concretizada, a CNB - corrente  sarneysista do partido, ligada ao  ex-vice governador Washington Oliveira já começa a falar em nomes para disputar as  prévias e escolher os candidatos ao governo e ao senado. Nos bastidores   já surgem os nomes.  Do Governo Roseana devem pedir desincompatibilização   para participar da disputa, o secretário de trabalho e economia solidária  José Antonio Heluy, do secretário adjunto de segurança alimentar, Kleber Gomes e do assessor da vice-governadoria,    professor  Nonato Chocolate .

No caso da realização das prévias - é pouco provável que a executiva nacional deixe   sob a responsabilidade do PT maranhense. As feridas continuam abertas pelo fato dos petistas maranhenses não terem conseguido realizar o PED/2013. O mais provável é que tanto a escolha do candidato a governador e a senador seja feita de forma vertical. Ou seja, escolhido em Brasília.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

CONVITE: PDT convida para reinauguração da sede do partido nesta quarta-feira


IMAGEM DO DIA: após dois anos sem barba, Lula volta a exibir sua antiga marca visual. Ex-presidente havia raspado durante tratamento contra câncer. Petista posou hoje ao lado da presidente Dilma Rousseff com o velho e tradicional visual


CLIMA DE INSEGURANÇA NO MARANHÃO FAZ TURISMO TER QUEDA DE 80% EM SÃO LUÍS NA ALTA TEMPORADA DAS FÉRIAS

clima que afastou o turista
Depois que estourou a onda de violência na Penitenciária  de Pedrinhas e nas ruas da capital maranhense o turismo em São Luís caiu cerca de 80%. A crise no Sistema de Segurança Pública do Estado que decapitou 64 presos, com 4 ônibus incendiados (a mando do crime organizado),  culminando com a morte da menina Ana Clara. O clima de insegurança no Maranhão chamou atenção da mídia nacional e internacional, prejudicando a imagem do Estado.
bares da Lagoa: pouca movimentação
A queda no turismo pode ser notada na baixa movimentação nas praias da capital nos finais de semana e nos bares e restaurantes da Lagoa da Jansen. Adriano Almeida que é proprietário do Bar Buteko disse que depois da onda de violência o clima de insegurança fez o turista desaparecer de São Luís. “A queda no volume de turistas - que geralmente frequenta o Buteko nessa época do ano  (considerada alta temporada), posso dizer que teve uma queda de 80%”. O empresário tem como base o mesmo período do ano passado.
período que também prejudicou o turismo
A crise do (final de 2013 e início  de 2014) no turismo provocada pela onda de violência já é superior ao período em que as praias da capital ficaram impróprias para o banho.   A violência provocada pela crise institucional de governabilidade é o fator principal que prejudica a imagem do Maranhão lá fora e traz sérios prejuízos para a economia do estado.













domingo, 19 de janeiro de 2014

Oposição recorre contra arquivamento do impeachment de Roseana Sarney


Blog do Jorge 
Vieira
Os deputados Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Marcelo Tavares (PSB), Othelino Neto (PCdoB) e Bira do Pindaré (PSB) protocolaram, sexta-feira (17), nos termos do Regimento Interno da Assembleia Legislativa e da Câmara dos Deputados, requerimento recorrendo contra a decisão monocrática do presidente Arnaldo Melo (PMDB) que arquivou o pedido de impeachment da governadora Roseana Sarney (PMDB), por crime de responsabilidade.
O documento assinado pelos quatro parlamentares da oposição critica o comportamento do presidente Arnaldo Melo, questiona a competência dele para mandar arquivar de forma monocrática o processo, pede que o plenário se manifeste sobre a obrigatoriedade ou não de seguir estritamente o rito do artigo nº 227 do Regimento Interno da Casa em tais situações e requer a reforma da decisão.
O pedido de impeachment da governadora foi apresentado pelo Coletivo de Advogados em Direitos Humanos (Caduh), na última terça-feira (14), após os distúrbios no Complexo de Pedrinhas que expuseram ao mundo as barbáries praticadas no sistema prisional do Maranhão e a falta de estrutura do Estado para combater a carnificina nos presídios. Ao receber a representação, o presidente Arnaldo Melo mandou arquivar sem consultar os demais integrantes da Mesa Diretora.
Em petição encaminhada ao presidente da Assembleia, a advogada Heloísa Machado de Almeida e outros oito integrantes do Coletivo de Advogados em Direitos Humanos oferecem denúncia por crime de responsabilidade, com pedido de perda do cargo (impeachment) e de direitos políticos contra Roseana, ‘em razão das violações de direitos humanos perpetradas no Centro de Detenção Provisória do Complexo Penitenciário de Pedrinhas’.
Segundo o líder da oposição, deputado Rubens Júnior, Arnaldo Melo deixou de receber a denúncia baseado em dois argumentos: suposto não cumprimento das formalidades do artigo nº 277 do Regimento Interno da Casa e ausência de justa causa para o seguimento da ação. ‘Assim, de modo monocrático, em nítida ofensa ao que dispõe o Regimento Interno da Casa, resolveu arquivar liminarmente o pedido. É a reforma da decisão do Exmo. Sr. presidente a fim de que a Casa siga o correto rito procedimental que se intenta no presente recurso’, diz a peça.
Ao justificar as razões para reivindicar a reforma da decisão do presidente Arnaldo Melo, os parlamentares da oposição recorreram aos ensinamentos do doutrinador Fábio Konder Comparato, quando ele afirma: ‘É ridículo pretender decidir sobre direitos do reino, das nações e do universo, pelas mesmas máximas com as quais se decide entre particulares sobre o direito a uma calha de águas pluviais’ (O Espírito das Leis. apud COMPARATO, Fábio Konder. Crime de Responsabilidade – Renúncia do Agente – Efeitos Processuais. Revista Trimestral de Direito público, nº 7, 1993, p. 82).
Conforme Rubens Júnior, a oposição teve a iniciativa de buscar a reforma da decisão ‘a fim de evitar que futuramente este Parlamento venha a sofrer correção de seus atos por parte do Poder Judiciário. Por isso, desde já se requer prudência na análise do presente recurso, a fim de que se reforme a teratológica decisão monocrática da presidência’, observa.
Diz ainda a peça jurídica, a ser apreciada após o recesso parlamentar, que o art. 277 do Regimento Interno da Assembleia Legislativa é ‘cristalino’ ao prever o procedimento: ‘O presidente da Assembleia, recebendo a representação com firma reconhecida e rubricada folha por folha em duplicata, enviará imediatamente um dos exemplares ao governador, para que preste informações dentro de 15 dias e, dentro do mesmo prazo, criará Comissão Especial, constituída de um quinto dos membros da Assembleia, com observância da proporcionalidade partidária, para emitir parecer sobre a representação e as informações, no prazo máximo de 15 dias, a contar de sua instalação’.
Diante do que recomenda o artigo citado, Rubens Júnior questiona: ‘Seria possível a rejeição monocrática da decisão pelo presidente desta Casa? A resposta só seria afirmativa se tal possibilidade constasse do Regimento Interno da Assembleia. O Regimento é claro ao afirmar que ‘o presidente da Assembleia, recebendo a representação com firma reconhecida e rubricada folha por folha em duplicata, enviará imediatamente um dos exemplares ao governador, para que preste informações dentro de 15 dias (…)’.
Para Rubens Pereira Júnior, isso significa dizer que ‘o presidente da Assembleia não é autoridade competente para, monocraticamente, rejeitar o pedido formulado pelos peticionários, e que tal atitude fere direito líquido e certo dos ora recorrentes em serem regidos pelo devido processo legislativo. Assim, os interesses ilegítimos, nascidos de espíritos políticos de mera ocasião, frutos de desavenças de menor importância, não podem ocasionar a derrocada do Estado de Direito, que tem no princípio da legalidade e da supremacia da constituição o seu alicerce estrutural’, defende o líder da oposição.
O recurso foi protocolado na sexta-feira, mas só começa a tramitar na segunda-feira (20) porque o sistema estava fora do ar e a secretaria da mesa diretora encerrou os trabalhos mais cedo. Rubens Júnior, no entanto, entregou o documento à diretoria geral da Casa.