Todos por São Luís

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Cultura do babaçu no Maranhão ainda na "idade da pedra". Só pesquisa e melhoramento genético pode salvar a palmeira e as quebradeiras de coco

O Governo do Estado precisa acabar com essa cultura protecionista e hipócrita com relação à cultura do babaçu no Maranhão. Não entendo essa lógica de proteger as quebradeiras se não é feito  nada para preservar o que é mais importante: o babaçu. Sem o coco,  não existe quebradeiras.  O governador Flávio Dino recebeu o Movimento das Quebradeiras de Coco no Estado. No encontro Dino anunciou a criação de uma secretaria adjunta ligada a Secretaria de Agricultura Familiar para cuidar do extrativismo. Isso só vai burocratizar ainda mais o processo. Não seria mais importante o governador destinar um
Governador anuncia a criação de mais uma secretaria
recurso  para pesquisar e melhorar geneticamente o babaçu?  O problema das quebradeiras de coco é a baixa produtividade dos babaçuais que estão em via de extinção.  Instituições  qualificadas para cuidar disso não faltam. Temos   Uema, Fapema e Agerp.



Nenhum comentário:

Postar um comentário