Todos por São Luís

terça-feira, 31 de março de 2015

Projeto Reniva estimula a multiplicação das sementes de mandioca no Maranhão



A mandiocultura maranhense está sendo revitalizada e fortalecida com o projeto Reniva (Rede de multiplicação e transferência de manivas-semente de mandioca com qualidade genética e fitossanitária), desenvolvido pela Embrapa em alguns municípios do Estado do Maranhão. O projeto visa beneficiar agricultores familiares integrantes do Plano Brasil Sem Miséria, do Governo Federal, e tem a participação das unidades Embrapa Cocais e Embrapa Mandioca e Fruticultura.
“O período prolongado de estiagem no Nordeste, com reduções expressivas nas precipitações pluviométricas anuais (quantidade de chuvas), que acontece desde 2011, trouxe reflexos negativos para a produção de mandioca na região. No Maranhão, a queda na produção dessa atividade econômica tradicional dos agricultores familiares preocupa a população, pois esse alimento é a base da cesta alimentar maranhense, ao lado do arroz e do feijão”, afirmou o chefe-geral da Embrapa Cocais, Valdemício Ferreira de Sousa.
Além da seca, outro problema enfrentado pelos produtores de mandioca é a pouca quantidade de sementes (“manivas”) disponíveis para plantio. A escassez decorre da própria característica dessa planta, que pelo sistema tradicional de plantio gera apenas cerca de dez manivas-sementes por planta. Com poucas sementes para plantar, a produção do agricultor familiar acaba sendo pequena e quando algum fator desestabiliza a plantação, como a falta de chuvas, essas poucas sementes podem morrer, prejudicando ainda mais a produtividade e a produção do agricultor.
Com o projeto de multiplicação de sementes de mandioca de boa qualidade, o objetivo da Embrapa é promover a formação de multiplicadores (técnicos e agricultores) dos municípios atendidos, para que eles possam reproduzir para todo o Estado as novas técnicas, que consistem basicamente na indução à brotação e no enraizamento dos brotos das manivas.
“A meta é aumentar o banco de reservas de semente do agricultor familiar maranhense, ampliando as novas áreas de plantio, mesmo em épocas de escassez de chuvas ou de outras intempéries”, disse Valdemício.
Em um primeiro momento, a ação da Embrapa está sendo levada a cinco municípios maranhenses, mas a longo prazo o objetivo é ampliar o número de pessoas aptas a multiplicar as orientações recebidas.
Multiplicação – De acordo com o pesquisador José de Ribamar Costa Veloso, da Embrapa Cocais, que está coordenando as ações da empresa no Maranhão, se uma planta madura gera cerca de dez manivas-sementes, com as técnicas de multiplicação esse número poderá chegar a 400 mudas.
“O que orientamos é uma modificação da forma de plantio da maniva, que nada mais é do que o caule da mandioca. Em vez de enterrar todo o caule-semente de forma desordenada no solo, e de uma só vez, o projetoReniva ensina a cortar esse caule por etapas, replantando a semente para que ela se multiplique. Pelo sistema, o agricultor produzirá mais manivas para plantar e, em consequência, na próxima safra terá mais mandiocas para colher e mais farinha para ser consumida”, disse Veloso.
Cidades atendidas – No Maranhão, o Reniva está sendo levado inicialmente aos territórios dos Cocais e Baixo Parnaíba. Nos Cocais, a parte prática do projeto  está sendo realizada em três municípios (Caxias, Codó e Peritoró) e, no Baixo Parnaíba, em dois municípios (Urbano Santos e Chapadinha).
O projeto Reniva integra o Plano Brasil Sem Miséria e, além da Embrapa, tem a parceria do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), do Governo do Estado do Maranhão –por intermédio da Secretaria de Agricultura Familiar–, e das prefeituras dos municípios maranhenses.



Nenhum comentário:

Postar um comentário