Todos por São Luís

quarta-feira, 4 de março de 2015

Programa Mais Médicos recebe os novos profissionais que atuarão no Maranhão. Solenidade de acolhimento aconteceu na UFMA, na presença do ministro da saúde, Artur Chioro, do reitor Natalino Salgado e do governador do Maranhão, Flávio Dino



SÃO LUÍS – Saúde é direito básico do cidadão garantido na Constituição. Com 1,8 médicos para cada mil habitantes, o Brasil, no entanto, está muito abaixo da média de outros países que possuem 3,5 médicos para mil habitantes. O déficit motivou a criação pelo Governo Federal do Programa Mais Médicos, que nesta terça-feira, 03, realizou, no Auditório Central da UFMA, uma solenidade de acolhimento dos novos médicos do programa no Maranhão.
Na abertura da solenidade, que contou com as presenças do ministro da Saúde, Arthur Chioro, do governador Flávio Dino, do prefeito de São Luís Edivaldo Holanda Júnior, e de prefeitos de diversos municípios maranhenses, o reitor Natalino Salgado disse que a UFMA participa ativamente do Programa Mais Médico desde o seu início, com a formação de profissionais que irão construir um cenário melhor para a saúde no Maranhão. “Nos próximos anos a Universidade Federal do Maranhão estará formando 300 profissionais de saúde, garantindo, assim, uma parceria cada vez maior entre o Governo Federal, Estadual e Municipal”, informou.
O ministro da Saúde, Artur Chioro, garantiu todo apoio do Governo Federal e do Ministério da Saúde ao Governo do Maranhão para a melhoria e avanços na área da saúde do estado. A meta do Governo Federal, segundo o ministro, é garantir que mais cursos possam ser criados em regiões de maior demanda e que médicos formados em graduações, como da UFMA – que possui o curso de Medicina em São Luís, Pinheiro (na baixada maranhense) e Imperatriz (no sudoeste do estado) – possam ter garantias de trabalho e venham a atuar nos postos de saúde das regiões de formação. 
De acordo com dados do Ministério da Saúde, em 2014 foram abertas 1.294 vagas para médicos nos municípios localizados em doze Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). Até 2017, a meta é abrir mais de onze mil vagas para profissionais de várias especialidades, via Programa Mais Médicos.
No Maranhão, as vagas preenchidas por médicos com o registro no Conselho Regional de Medicina (CRM) chegam a 95%. Foram ofertadas 124 vagas em 41 municípios. Para a terceira chamada, estão disponíveis vagas para cinco municípios – Caxias, Arame, Vila Nova dos Martírios, São José de Ribamar e Amarante do Maranhão. A terceira chamada acontecerá nos dias 17 e 18 de março. Os candidatos também podem concorrer a vagas no Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) do Maranhão.
O governador Flávio Dino ressaltou algumas das prioridades da gestão para a área de saúde. “A articulação entre o Governo Federal, Estadual e Municipal tem como foco a reforma de hospitais, como o de Pinheiro, onde a UFMA possui o curso de medicina, e o Hospital Municipal de Caxias, onde a UEMA também tem o curso de medicina. Essas unidades poderão, inclusive, ser usadas como hospitais universitários”, disse.
Tutora do Programa Mais Médicos na UFMA, a professora Maria do Carmo Lacerda Barbosa, diz que a Universidade é a responsável pela supervisão acadêmica dos médicos do Programa. “A universidade disponibiliza seis professores, que são os tutores responsáveis pelos trabalhos, junto ao Governo Federal, para a definição das políticas do Programa no estado e para a orientação aos 82 supervisores, que fazem a avaliação das atividades dos médicos nos diferentes municípios”, explica.
Daniel Murad Sampaio, inscrito para o município de Matinha - 236 km da capital - disse que será uma satisfação servir a população e espera ter uma boa experiência. “Estamos na expectativa de como vai ser, mas acredito que será uma experiência muito boa”, especula. O médico revela que, além da exercício profissional, outra vantagem é o bônus de 10% que ganhará, posteriormente, na pontuação das provas de residência médica, ajudando em sua qualificação profissional.


Nenhum comentário:

Postar um comentário