Todos por São Luís

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

PDT colocará a experiência de sua militância a serviço da reeleição de Edivaldo

Partido com a tradição de ter perdido apenas uma eleição para prefeito São Luís, o PDT vai colocar toda a experiência de sua aguerrida militância em sucessões na capital a serviço da reeleição Edivaldo Holanda Júnior, que está trocando o PTC pela legenda que será comandada no Maranhão, a partir de sexta-feira (28), pelo deputado federal Weverton Rocha.
Desde que as capitais reconquistaram o direito de eleger seus prefeitos, o PDT perdeu apenas a eleição de 1985, quando o Jackson Lago enfrentou duas estruturas poderosas montadas em torno das candidaturas de Gardênia Castelo, apoiada pelo então senador João Castelo, recém saído do Palácio dos Leões, e Jaime Santana, o “Força Total” com o apoio dos governos federal, estadual e municipal.
Foi um duelo de titãs entre as duas forças políticas mais poderosas da época e o Dr. Jackson acabou ficando em terceira lugar. Em 1988, porém, Jackson Lago atropelou o candidato do Palácio dos Leões, Carlos Guterres e se elegeu prefeito de São Luís. De lá pra, o partido ou esteve no comando da prefeitura ou ajudou a eleger o prefeito, como ocorreu com Conceição Andrade (PSB), em 1992, quando os pedetistas deram uma “surra” em João Alberto e elegeram a segunda prefeita da história da cidade.
Como a política tem a proeza de aproximar pessoas com a mesma velocidade que afasta, Conceição rompeu com o PDT e, sem condições de disputar a reeleição, apoiou a candidatura de João Castelo, que foi derrotado por Jackson Lago, que se reelegeu, passou dois anos na prefeitura e renunciou o mandato para concorrer ao Governo do Estado em 2002, entregando o comando da prefeitura para o vice-prefeito Tadeu Palácio, que se reelegeu no primeiro turno dando um “capote” no representante da oligarquia Sarney, Ricardo Murad.
Já em 2008, com Jackson Lago governador do Estado, o partido fez opção por João Castelo e acabou contribuindo para a vitória daquele que seria o pior prefeito da história da cidade. Diante da péssima administração do ex-aliado, rompeu com Castelo e na eleição de 2012 foi peça fundamental na articulação que reuniu os partidos em torno da vitoriosa candidatura de Edivaldo Holanda Júnior.
Em 2016 o PDT volta a disputar a sucessão em São Luís com candidato próprio. O prefeito Edivaldo, ao escolher a legenda para se filiar a passar novamente pelo teste das urnas, fez a escolha certa, pois está ingressando em um partido que além do tempo de televisão, tem história e compromisso com a cidade.
Fonte: Jorge Vieira

Um comentário:

  1. UMA PARCERIA MAIS QUE PERFEITA. EDIVALDO SO TEM A GANHAR.

    ResponderExcluir